Aceitar o brilho do outro

Aceitar o brilho do outro

Fábula da cobra e do pirilampo

No tempo em que os animais falavam, um jovem pirilampo que apenas brilhava, como era da sua natureza, viu-se perseguido por uma cobra.

Começou por fugir na esperança que a cobra desistisse mas esta cada vez se tornava mais veloz.

O pirilampo fugiu durante um dia, dois dias, sem parar para descansar.

A cobra, por seu turno, não abrandava nem mostrava cansaço, cada vez mais decidida a alcançá-lo.

Ao terceiro dia, o pirilampo perdeu as forças e exausto, desistiu de se tentar salvar.

Todavia, porque não percebia as razões da cobra, teve a coragem de lhe falar:

– Antes de me comeres, posso fazer-te 3 perguntas?

– Eu não tenho o hábito de deixar as minhas vítimas falarem. Mas, já que resististe tanto tempo, concedo-te esse desejo.

E o pirilampo perguntou:

– Pertenço à tua cadeia alimentar?

– Não. – respondeu a cobra.

– Fiz-te algum mal?

– Também não!

– Então porque me queres comer?

– Porque não suporto ver-te brilhar!!!

Conclusão: o pirilampo continuou a viver.

Nota: Podem fazer printscreen para divulgar pelos animais da selva.

Leave a Reply

%d bloggers like this: