Não vemos as coisas como elas são, mas sim como nós somos

Não vemos as coisas como elas são, mas sim como nós somos

Quantas vezes já ouvimos ou lemos: “não vemos as coisas como elas são, mas sim como nós somos.”. A forma como visualizamos algo é total reflexo do nosso mundo interno. Estamos constantemente a fazer escolhas. Uma delas é: Como eu quero e decido ver a minha realidade?

A forma como decifras determinada situação tem como base as lentes das Nossas crenças limitadoras ou possibilitadoras e isso molda o teu presente e o teu futuro.

Por exemplo, a questão da “responsabilidade”. Pode ser um fardo, um peso (e as tuas atitudes caminharão nessa direção). Ou então, por outro lado, podes acreditar que é uma honra, motivo de gratidão e, novamente, os teus comportamentos caminharão nessa direção.
Outro exemplo, podes no teu trabalho ter alguém com quem não possuis uma boa relação, e para ti essa pessoa é uma pedra no sapato. O teu foco diário é sempre na parte negativa dessa pessoa. Por outro lado, podes aceitar essa pessoa como alguém que está na sua vida para te ensinar alguma coisa de modo que possas caminhar mais e melhor rumo à excelência.
Grande parte dos nossos problemas são criados pela forma como vejo o mundo (seja extremamente otimista ou extremamente pessimista), por vezes ela pode nos impedir de alcançar a melhor performance. Portanto, aceita esse problema que estás a viver e não o ignores a realidade. Posteriormente decide como queres encontrar novas soluções, novas respostas para que consigas resolver.
O Poder da escolha está nas nossas mãos.. com as pessoas, momentos, situações diárias. Não significa ignorar a realidade ou deixar tudo passar, mas diminuir o teu sofrimento e focar nas melhores ações e soluções.

Leave a Reply

%d bloggers like this: