Aprende com os teus “Mentores”

Aprende com os teus “Mentores”

Se alguma vez assistiu à volta a Portugal, sabe o que é ir na roda: os ciclistas colocam-se por trás da bicicleta dianteira, fazendo de propósito para não a ultrapassar, de forma a beneficiarem da redução do vento que vem de frente, resultando num menor esforço necessário. Imitam uma técnica usada por muitas espécies de aves. O ciclista (ou a ave) que vai a frente é quem se esforça mais, enquanto os restantes se agrupam atrás para reduzir o atrito e a energia necessária para atingir a mesma velocidade.

No âmbito profissional, ir a roda pode ser uma técnica mutuamente benéfica, não se devendo, porém transformar em, roubo, plágio ou usurpação. Pense em alguém que esteja mais avançado na carreira, seja na sua área ou naquela em que gostaria de estar, que faça o que o leitor espera vir a conseguir, e pergunte-lhe se pode ajudar com algum excesso de trabalho a que essa pessoa não consiga com algum excesso de trabalho a que essa pessoa não consiga ou não tenha vontade de atender.

Não se trata de se ser preguiçoso. Indo na roda de outros que já abriram caminhos, podemos aprender com a abordagem que utilizaram e beneficiar do excesso de trabalho com que não conseguem lidar. Um dia devolveremos o favor, ajudando outras pessoas que queiram ir na nossa roda.

Ir a roda pode assumir diversas formas:

  • Estágio: Trabalhar com uma remuneração potencialmente baixa, a troco de ter acesso total à forma como o nosso mentor gere o seu negócio ou carreira;
  • Excesso de trabalho: quando o nosso mentor tem um volume de trabalho a que não consegue dar vazão, se formos competentes na nossa área, apesar de ainda não gerarmos o mesmo fluxo de interesse, ele poderá recomendar-nos.
  • Livros e podcasts: não é preciso conhecer especialistas “na vida real” para aprender e aproveitar os seus conhecimentos. Os livros representam anos de conhecimentos, pesquisa e erros que não temos de cometer. Podemos igualmente aproveitar os conhecimentos que ouvimos em TED Talks e podcasts, o que  é vantajoso sobretudo para quem aprende melhor ouvindo ou quer experimentar outra dimensão do trabalho de um perito.

 

Leave a Reply

%d bloggers like this: